SINOPSE

selo-recorte

À luz literária, LIMITES DO PERDÃO pode ser apontado como um romance espiritista próprio do findar do século XX. Nele percebe-se a influência do kardecismo inserido nas gerações da travessia do milênio, através das obras de Francisco Cândido Xavier.

A sublimação do sofrimento em nome do amor alcança seu cume na narrativa de tragédias sentimentais que sensibilizam, quer o pequeno círculo de Nieta e Kalil, quer globalizando em larga escala, “com o falecimento de Lady Diana Spencer”, emérito símbolo de que a infelicidade, ao contrário do apregoado nos contos de fadas, não escolhe classes sociais. A bem da verdade, nem idade!

A TRAMA

A narrativa de LIMITES do PERDÃO leva ainda a alcunha cultural, mantendo enriquecido o cenário preparatório não apenas da estória focada, mas do milênio que se aproximava!

O século XXI, aos olhos dos transeuntes do findar do primeiro milênio pós Cristo, virá derrubando muralhas, e a simbologia maior é a queda do Muro de Berlim, do Comunismo, Socialismo e muitos dos “ismos” que tolhiam o ser humano no aprofundamento daquilo que, futuramente, viria a ser chamado de GLOBALIZAÇÃO.

Enquanto a vida passa, lenta para os personagens fictícios interligados e condicionados às lições personalíssimas que, sequer suspeitam o desfecho que os aguarda, os Mamonas Assassinas cantam e encantam plateias, Ayrton Senna é a sensação heroica das manhãs de domingo, e, a reação popular à perda brusca de seus companheiros de existência trará à tona a quantas anda o coração nacional. A era de Chico Xavier, Papa João Paulo II e Madre Tereza de Calcutá desponta seu por do sol…a era de Sidney Sheldon, Jorge Amado, de Roque Santeiro, A Gata Comeu e Escrava Isaura; do Domingo no Parque, Fantástico e Trapalhões; de Velocidade Máxima, Ghost, Estória sem Fim, Drácula de Bram Stoker e Entrevista com o Vampiro, de Michael Jackson e Roupa Nova está definitivamente se exaurindo…

Uma outra era terá início, e LIMITES DO PERDÃO parece antever a isso com uma lamúria graciosa, o deixando de certa forma em aberto ao regressar a Évora, Portugal, do século XVIII, para lá e tão somente de lá, ecoar as motivações de desentendimentos que no alvorecer da segunda década do segundo século do segundo milênio Pós Cristo, não fazem mais o menor sentido a Evandro, Clóvis, Miguel ou Bartolomeu, eis que tanto Nieta quanto Argemiro, Kalil ou mesmo Lindolfo de certo aprenderam quem realmente é o grande provedor da força da vida, restando a ELE, somente a ELE encerrar todo e qualquer enredo.

ESPECIAL LIMITES DO PERDÃO 20 ANOS

Os Temas Musicais de Limites de Perdão, músicas e clipes, são inspiradores “SPOILERS” de um enredo que embora encerrado, ainda com muita lição de vida deixada à deriva! Afinal, mais que uma vida longa, o importante é ter uma existência condizente com quem somos, com o que queremos e assim fazer, à nossa maneira, DIFERENÇA!

Flávia Neves

Tema Oficial Limites do Perdão
Classic | Adrian Gurvitz (Tradução)

Tema de Nieta

Seu Querer | Demônios da Garoa

Minha estrela perdida | João Paulo e Daniel

Tema de Argemiro | Please Don’t Go | Double You

Tema de Lindolfo | Beautiful | Marillion

Tudo que vai | Capital Inicial

Garota Nacional | Skank

Smoke gets in your eyes | The Platters (Tradução)

Prefixo de Verão | Netinho

Swing Da Cor | Daniela Mercury

Vira Vira | Mamonas Assassinas

Temas de Kalil

Epitáfio | Titãs

A Viagem | Roupa Nova

Amazing Grace | Il Divo (Tradução)

Maravilhosa Graça
Maravilhosa Graça! Quão doce é o som
Que salvou um náufrago como eu
Eu estava perdido, mas fui encontrado
Eu estava cego mas agora vejo

Foi a graça que ensinou o meu coração a ter medo
E a graça aliviou os meus medos
Quão preciosa aquela graça apareceu
Na hora em que eu acreditei

Por muitos perigos, trabalhos pesados e armadilhas
Eu já passei
Essa graça que me trouxe em segurança de tão longe
E graça me conduzirá ao lar

O Senhor prometeu boas coisas para mim
Sua palavra segura minha esperança
Ele será o meu escudo e quinhão
Enquanto a vida durar

E quando essa carne
E o coração passarem
E a vida mortal cessar
Eu terei
No vale
Uma vida de alegria e paz

Quando estivermos lá há dez mil anos
Claros e brilhantes como o sol
Não teremos menos dias para cantar e louvar a Deus
Que nos dias quando começamos

Maravilhosa Graça! Quão doce é o som
Que salvou um náufrago como eu
Eu estava perdido, mas fui encontrado
Eu estava cego mas agora vejo

Hallelujah | Bon Jovi (Tradução)

La forza della vita | Renato Russo (tradução)

Tema dos 15% | Daniel | Solidão dos Amigos